É já no sábado: Rali das Camélias recupera a grande 'Noite de Sintra'

Está tudo a postos para a edição de 2019 do Rali das Camélias, prova que volta a animar a serra de Sintra e a região de Mafra durante o próximo sábado, dia 30. Este ano, o Rali das Camélias conta com algumas surpresas, entre elas o regresso da grande 'Noite de Sintra'.

Os dados estão lançados para uma grande festa de fecho de temporada ao nível dos ralis, com a partida marcada para sábado às 8h30 nos Jardins do Casino Estoril, com os pilotos a rumarem a Sintra (10.01 km - 9h08) e a Cascais, (11.23 kms 9h31). Reagrupam em Mafra às 11h21, depois rumam ao Gradil (10,47 Km, 13h04) e Livramento (8,00 Km, 13h32). Nova paragem em Mafra, às 14h27, antes de mais dois troços, Mafra (10,19 Km, 17h35) e Azueira-Sobral da Abelheira (18,56 Km, 18h08). O rali encerra-se com a dupla passagem por Capuchos, à noite (14,51 Km, 20h11 e 21h29), antes de rumarem novamente a Mafra.

A poucos dias da prova, nada melhor que lembrar aquela que foi a primeira de todas as provas do Campeonato Nacional de Ralis, que se iniciou em 1966, há 53 anos. Foi o Rali das Camélias - que depressa se tornou num verdadeiro "ex-libris" da modalidade e que se manteve no campeonato, quase sem interrupção, até 1991.

Falar do Rali das Camélias é falar dos troços de Sintra, que sempre congregaram multidões, com o expoente máximo a suceder durante o Rali de Portugal. Porém, a verdade é que a prova começou com a chancela do Clube Arte e Sport, utilizava os mesmos troços que, depois, eram percorridos pela 'nossa' prova do mundial. Só mais tarde, quase no final da sua carreira no calendário nacional, os pilotos se desviaram um pouco mais, percorrendo as estradas do Montejunto e do Gradil, lá para os lados de Mafra.

O Rali das Camélias foi ganho pelo saudoso Manuel Gião (Austin Cooper S) e abriu o campeonato nos três anos seguintes, através de José Lampreia (1967 e 1968) e Américo Nunes. Depois, passou mais para a frente no calendário, cedendo a primazia ao rali James/Sopete nas honras de abertura. Mas, nem por isso perdeu o seu carisma, ajudando a construir verdadeiros especialistas nas suas estradas estreitas e tortuosas. Nomes como Mário Silva, Joaquim Santos, Joaquim Moutinho (que faleceu esta semana), Mêquêpê, Mário Figueiredo, Luís Netto, António Carlos Oliveira e Inverno Amaral subiram ao lugar mais alto do pódio, alguns mais que uma vez. 

A prova foi retirada do calendário em 1991, tendo sido José Miguel o seu último vencedor... antes de 2018, aquando do regresso do evento, com o triunfo a ficar em 'casa', com Paulo Neto e vencer!

Este ano, não faltam favoritos à vitória, entretanto, registe todas as informações relativas aos troços cronometrados, horários e locais para assistir às classificativas espetáculo:

Classificativas, horários e os melhores acessos: