Amadora quer ser amiga dos idosos e tem o apoio de mais 19 entidades

Mais 19 entidades subscreveram o plano estratégico para melhorar a qualidade de vida dos idosos na Amadora, passando a ser 70 as instituições que colaboram com o município.

O Plano Estratégico para o Envelhecimento Sustentável (PEES), da Câmara Municipal da Amadora, distrito de Lisboa, teve início em 2016 e estará em vigor até 2025 com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos idosos.

Nos últimos dois anos, 51 entidades, entre juntas de freguesia, centros sociais paroquiais, associações de reformados, PSP ou o Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra), já tinham subscrito o PEES, ao qual se somaram hoje mais 19, num total de 70 entidades que procuram respostas para os idosos do concelho.

A presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Tavares (PS), disse hoje à agência Lusa ser "necessária a colaboração da comunidade como um todo" para trabalhar a temática do envelhecimento da população.

"É um trabalho em quatro eixos que nos permite refletir sobre o envelhecimento da população (...) para podermos ter uma estratégia que nos permita estar mais bem preparados para responder a estes desafios que a sociedade tem. Na Amadora, mais de 20% da população tem mais de 65 anos", afirmou.

De acordo com a autarca, as questões relacionadas com a demência e a prestação de cuidados ao domicílio estão no topo das preocupações do executivo municipal.

"A demência existe, manifesta-se e as instituições e organizações têm no seu espaço que estar capacitadas também para este tipo de respostas. Precisamos também de apostar em cuidados de apoio domiciliário no maior número possível, porque não temos condições enquanto concelho para termos várias instituições com valência de lar", explicou.

O PEES desenvolve-se em torno de quatro eixos de intervenção, assentes nos "cuidados básicos, subsistência e suporte à vida", "inclusão na comunidade", "participação socioeconómica e cívica, aprendizagem ao longo da vida e fruição cultural" e "qualificação das organizações e responsabilidade social".

A versão final do PEES 2016-2025, sob o lema "Viver Bem a Idade", foi elaborado pela autarquia com a coordenação técnica do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa.