Equipas multidisciplinares já contactaram mais de 2600 pessoas em Sintra

Mais de 2.600 pessoas já foram contactadas pelas equipas multidisciplinares de Sintra que apoiam os casos ativos de covid-19 no concelho e realizaram desde o início de julho quase mil visitas a agregados familiares, anunciou hoje o município.

Em comunicado, a Câmara Municipal de Sintra adianta que as seis equipas multidisciplinares, constituídas por enfermeiros, técnicos de ação social, proteção civil e um elemento da junta de freguesia da área de residência, realizam visitas domiciliárias para avaliar as "necessidades de saúde e sociais dos casos sinalizados pelas autoridades" e "o cumprimento eficaz e efetivo do confinamento necessário para a quebra de transmissão do novo coronavírus".

Estas visitas, é referido, permitiram gerar 130 pedidos de apoio familiar, 14 pedidos de apoio para medicamentos, 38 pedidos de apoio económico e 17 pedidos de habitação de emergência.

"Neste trabalho de proximidade são entregues pelas equipas, em todas as visitas, termómetro, máscaras cirúrgicas e gel desinfetante para que o cidadão, ainda que em confinamento obrigatório, reduza todos os riscos de transmissão", lê-se na nota.

Na retaguarda desta operação, que já permitiu desde o início de julho a realização de cerca de 990 visitas a agregados familiares, está ainda uma equipa com técnicos da Segurança Social e da Câmara de Sintra "que recebem, avaliam e encaminham, diariamente, os relatórios com os diversos pedidos de apoio para intervenção imediata".

"A autarquia de Sintra irá continuar a acompanhar a evolução da propagação da covid-19, antecipando e atuando com novas medidas preventivas, caso seja necessário, garantindo as atividades essenciais e prioritárias no município, bem como o apoio à população", é acrescentado no comunicado.

Seis freguesias de Sintra (uniões de freguesias de Queluz e Belas, Massamá e Monte Abraão, Cacém e São Marcos, Agualva e Mira Sintra, Algueirão-Mem Martins e a freguesia de Rio de Mouro) estiveram em situação de calamidade durante o mês de julho devido à pandemia de covid-19.

No início do mês estas freguesias, tal como outras 13 dos concelhos de Lisboa, Odivelas, Amadora e Loures, passaram para a situação de contingência, em que já se encontrava a restante Área Metropolitana de Lisboa.

As outras regiões de Portugal continental estão desde 01 de junho em situação de alerta.

Os 18 municípios que integram a AML são Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 743 mil mortos e infetou mais de 20,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.764 pessoas das 53.223 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.