Festas de Lisboa propõem homenagem a Fernão de Magalhães e António Variações

As Festas de Lisboa'19 vão proporcionar "um mês de propostas artísticas inovadoras, ao ar livre e de entrada gratuita", associando os festejos de Santo António a uma homenagem ao navegador Fernão de Magalhães e ao compositor António Variações.

"Inspirados numa combinação improvável - Santo António, Fernão de Magalhães e António Variações - partimos numa viagem em que Lisboa é o ponto de partida e chegada", anunciou hoje a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC), responsável pela organização das Festas de Lisboa, numa conferência de imprensa que decorreu num cacilheiro da Carristur, num passeio no rio Tejo.

De acordo com a presidente da EGEAC, Joana Gomes Cardoso, este ano, as Festas de Lisboa têm como mote os 500 anos da circum-navegação de Fernão de Magalhães, assim como uma homenagem ao cantor e compositor português António Variações, que faria 75 anos.

Com início em 01 de junho, a programação das Festas arranca com "um espetáculo literalmente nas alturas, fazendo adivinhar novos horizontes numa alusão à circum-navegação de Fernão de Magalhães", em que a artista de funambulismo Tatiana-Mosio Bongonga vai, a partir das 19:30, percorrer 300 metros numa corda bamba a 33 metros de altitude na Alameda D. Afonso Henriques rumo à Fonte Luminosa, atuação que será acompanhada de música ao vivo pela Banda da Armada e elementos da companhia circense Basinga.

"Não é aconselhável para as pessoas mais sensíveis", afirmou Joana Gomes Cardoso, referindo que a exibição de Tatiana-Mosio Bongonga tem "muita emoção, muito risco".

Assinalando o Dia Mundial da Criança, o primeiro dia do mês de junho conta com um espetáculo de teatro, intitulado "Guardar Segredo", que convida os mais novos a entrarem em dois guarda-fatos que durante o fim de semana vão estar colocados no Jardim da Quinta das Conchas.

No âmbito do primeiro aniversário do LU.CA - Teatro Luís de Camões, está prevista uma programação infantojuvenil especial durante três dias consecutivos.

Cumprindo a tradição popular, os arraiais, as marchas, os tronos e os casamentos de Santo António regressam às ruas da cidade de Lisboa, mantendo-se como ponto alto das Festas a noite de 12 para 13 de junho, em que "16 pares recém-casados, 23 marchas e uma convidada - Marcha Popular de Ribeira de Frades - irão descer a Avenida da Liberdade sob a égide do Santo Popular".

Como destaques na programação estão, também, a iniciativa Fado no Castelo, que este ano vai reunir "duas grandes vozes com dois coros singulares: Ana Moura e Sopa de Pedra, no dia 14 de junho, e Raquel Tavares e Gospel Collective, no dia 15 de junho", o festival Com'Paço, que a partir de 22 de junho volta a contar com a participação de bandas filarmónicas oriundas de todo o país, o festival Lisboa Mistura, que este ano se muda para a Quinta das Conchas, e as Festas da Diversidade e do Japão em Lisboa, que continuam a celebrar a diversidade cultural da cidade.

Símbolo das Festas de Lisboa, o Concurso Sardinhas voltou a premiar seis participantes, depois de ter recebido propostas de candidatos oriundos de 31 países, com idades entre os 8 e os 87 anos, informou a presidente da EGEAC, indicando que, durante todo o mês de junho, é possível conhecê-las melhor na exposição "100% Sardinha", no Espaço Trindade.

O encerramento das Festas de Lisboa'19 vai proporcionar "um concerto irrepetível, construído de propósito para esta ocasião, dedicado a António Variações que faria 75 anos", que vai decorrer no dia 29 de junho, a partir das 22:00, no Jardim da Torre de Belém, em que as músicas do compositor português vão ser cantadas por Ana Bacalhau, Conan Osiris, Lena D'Água, Manuela Azevedo, Paulo Bragança e Selma Uamusse, com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e arranjos sinfónicos a cargo de Filipe Melo, Filipe Raposo e Pedro Moreira.

Em relação ao orçamento das Festas de Lisboa'19, Joana Gomes Cardoso disse que se mantém nos valores de anos anteriores, o que corresponde a "cerca de 1.300 mil euros", reforçando que "é inteiramente coberto pelos patrocinadores".

Falando na conferência de imprensa, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, destacou a "combinação rara" entre "a dimensão popular e cosmopolita que Lisboa tem hoje", considerando o compositor português António Variações como um "símbolo de modernidade".