Palácio Nacional da Ajuda renova-se para mostrar Tesouro Real. Conheça os trabalhos:

As obras de valorização do Palácio Nacional da Ajuda, para acolher a Exposição Permanente do Tesouro Real, já começaram. A primeira intervenção é a demolição de elementos e construções dissonantes e a contenção periférica, tendo já sido instalados contentores para colocação provisória da cafetaria, arquivos e outros serviços do Ministério da Cultura, durante as obras.

Anteriormente foi realizada a campanha arqueológica e sondagens geológicas para elaboração dos trabalhos. O projeto de arquitetura, da responsabilidade da Direção Geral do Património Cultural, está concluído, assim como diversos projetos de especialidade, assessorados por um perito internacional de segurança, dado o valor do espólio que será exposto. Por sua vez, o projeto de museologia e comunicação gráfica está a ser desenvolvido pela "Providência Design".

Às demolições e contenção periférica seguir-se-ão as obras do edifício e da Calçada da Ajuda, bem como as obras de Museografia, de construção do equipamento expositivo, de montagem da exposição e de segurança.

O valor atualmente estimado para a totalidade do projeto é de cerca de 21 milhões de euros, que inclui também as obras na Calçada da Ajuda, a construção de um novo restaurante e diversas intervenções de reforço da segurança. Este investimento será maioritariamente suportado pelo Fundo de Desenvolvimento Turístico de Lisboa, a que acresce um investimento de cerca de 5 milhões de euros da Associação Turismo de Lisboa e de cerca de 4 milhões de euros do Ministério da Cultura.

O projeto contempla o fecho da ala Poente do Palácio com uma implantação que vai respeitar os limites atuais da massa edificada do palácio. A nova fachada Poente, com desenho e expressão contemporânea, procura restituir a unidade de leitura do conjunto. É utilizada uma composição formal, com referências aos alçados pré existentes, onde se enfatizam as linhas verticais e horizontais, acentuando a marcação da leitura dos estágios das fachadas existentes, que se materializam em diferentes planos das lâminas verticais de sombreamento dos planos envidraçados.

São ainda utilizados dois corpos laterais mais elevados, com perfil e altura idêntica à dos torreões Norte e Sul da fachada Este, essenciais para o equilíbrio do conjunto. A aplicação de uma estrutura com lâminas de sombreamento (pele) permite a datação clara da intervenção e assume um carácter efémero e reversível da construção.

Nesta nova ala do Palácio será instalada a exposição permanente do valioso Tesouro Real, que inclui as Joias da Coroa e do Tesouro de Ourivesaria.

O projeto de valorização das áreas Poente e Norte do Palácio Nacional da Ajuda e posterior instalação da Exposição Permanente das Joias da Coroa e dos Tesouros de Ourivesaria da Casa Real tem a colaboração do Ministério da Cultura/Direção Geral do Património Cultural, da Câmara Municipal de Lisboa e da Associação Turismo de Lisboa. O prazo estimado para a conclusão do projeto é o primeiro semestre de 2020.