Pedro Sousa recebe 'wild card' para melhor quadro de sempre no Estoril Open

O tenista português Pedro Sousa recebeu um 'wild card' para o quadro principal do Estoril Open, que vai decorrer entre 27 de abril e 5 de maio, no Clube de Ténis do Estoril, em Cascais, anunciou a organização.

O número dois nacional e 105.º colocado do ranking mundial atingiu, nas últimas duas edições, a segunda ronda do ATP 250 português, tendo sido eliminado em 2018 pelo compatriota João Sousa, que viria a sagrar-se campeão.

Em fevereiro, Pedro Sousa integrou, pela primeira vez na carreira, o 'top-100′ da hierarquia ATP e hoje foi agraciado com um convite, entregue pelo diretor do torneio, João Zilhão, para o evento organizado pela 3Love nos 'courts' de terra batida do Clube de Ténis do Estoril.

"É um prémio pela carreira do Pedro Sousa, que recentemente atingiu o 'top-100′ do ranking mundial e protagonizou dois dos melhores encontros da última edição do Millennium Estoril Open. No primeiro encontro, venceu ao francês Gilles Simon em três 'sets' e depois perdeu também em três partidas frente a João Sousa, que, inclusivamente, teve de salvar 'match points'", justificou João Zilhão.

O tenista lisboeta, de 30 anos, está esta semana a disputar o 'Challenger' de Marbella, em Espanha, onde na terça-feira viu o seu encontro frente ao espanhol Carlos Taberner ser suspenso no terceiro 'set' por falta de luz natural.

O melhor torneio de sempre em perspetiva

A quinta edição do torneio vai ter como principais figuras o sul-africano Kevin Anderson, sétimo do ranking, o grego Stefanos Tsitsipas, 10.º, o francês Gael Monfils, 18.º, e o australiano Alex De Minaur, 26.º, além de João Sousa, 41.º, que, em 2018, se tornou o primeiro português a vencer o torneio.

"Este ano tivemos sorte. Conseguimos trazer jogadores que não estava à espera, quiseram jogar nessa semana e daí o quadro estar tão forte. É um ano atípico! Ter quatro jogadores do 'top-20' e dois 'top-10' não é normal num ATP 250", afirmou o responsável pelo Millennium Estoril Open.

"Fizemos um bom trabalho a convencê-los, mas não se pode esperar que todos anos se vá ter quatro jogadores do 'top-20' mundial", reconheceu Zilhão, na apresentação do torneio, acrescentando ser "importante trazer a nova geração e os futuros campeões", até porque "não há dinheiro para o Roger Federer, o Rafael Nadal e o Novak Djokovic".

Além de assegurar "o melhor quadro de sempre, tanto pelo nível qualitativo dos jogadores, como pelo interesse demonstrado pelos que vêm", João Zilhão anteviu "muita emoção" na quinta edição do Estoril Open, nos 'courts' de terra batida do Clube de Ténis do Estoril, onde João Sousa vai defender o título.

"Vamos ter também alguns dos mais carismáticos jogadores do circuito, como o Gael Monfils e o Fábio Fognini e depois o João Sousa vai defender o título. Vai ter muita pressão, mas o público português vai ajudar a que consiga superar as várias duras batalhas que vai ter. Ele já provou que sabe ganhar, já foi campeão e está no rol dos campeões", referiu.

"Trabalhamos sempre para irmos além da qualidade do elenco, fazendo do torneio em si a principal vedeta graças a um excelente ambiente e eventos culturais ou sociais que têm reforçado a sua fama não só em Portugal como lá fora. Este ano, temos a maior internacionalização de sempre com 14 nacionalidades representadas entre os jogadores com entrada direta e um número crescente de visitantes vindos de fora do país. O facto de ser a grande festa do ténis português e um evento com cada vez maior projeção além-fronteiras tem justificado a adesão crescente de mais parceiros de prestígio nacional e internacional, que se juntam ao Millennium BCP e à Câmara Municipal de Cascais enquanto pilares fundamentais do projeto", acrescentou.

Tenistas em destaque:

Kevin Anderson - (7.º)

Stefanos Tsitsipas - (10.º)

Fabio Fognini - (17.º)

Gael Monfils - (18.º)

Alex de Minaur - (26.º)

Frances Tiafoe - (34.º)

John Millman - (39.º)

Jeremy Chardy - (40.º)

João Sousa - (41.º)

Mikhail Kukushkin - (43.º)

Dusan Lajovic - (44.º)

Cameron Norrie - (51.º)

Taylor Fritz - (56.º)

Reilly Opelka - (58.º)

Malek Jaziri - (59.º)

Mackenzie McDonald - (60.º)

Jaume Munar - (61.º)

Leonardo Mayer - (62.º)

Yoshihito Nishioka - (64.º)