Sintra distribuiu mais de 86 mil refeições escolares durante a pandemia

Mais de 86 mil refeições escolares foram distribuídas a famílias do concelho de Sintra desde o início da pandemia da covid-19 e do encerramento das escolas, revelou hoje a autarquia.

Assumindo a continuidade do fornecimento das refeições semanais escolares a todos os alunos do 1.º Ciclo do concelho e ainda um segundo conjunto de refeições para um acompanhante do aluno, a Câmara Municipal de Sintra já distribuiu "86.300 refeições escolares a famílias", desde o encerramento dos estabelecimentos escolares, em 16 de março, devido à pandemia da covid-19.

"Estes conjuntos de refeições são compostos por duas refeições diárias para cada aluno e para cinco dias da semana. As refeições semanais são entregues num só dia, em dias diferenciados e em escolas separadas para evitar concentração de pessoas", indicou o município de Sintra.

Em comunicado, a autarquia lembrou que as famílias podem inscrever-se para beneficiar deste apoio, através da plataforma 'online' utilizada para as refeições escolares.

O levantamento das refeições é feito em 25 escolas do concelho de Sintra.

Acompanhando a evolução da propagação do novo coronavírus, a Câmara Municipal de Sintra, liderada por Basílio Horta (PS), está preparada para antecipar e atuar "com novas medidas preventivas, caso seja necessário, garantindo as atividades essenciais e prioritárias no município, bem como o apoio à população".

Portugal contabiliza 1.074 mortos associados à covid-19 em 25.702 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 11 mortos (+1%) e mais 178 casos de infeção (+0,7%).

Das pessoas infetadas, 818 estão hospitalizadas, das quais 134 em unidades de cuidados intensivos, e o número de casos recuperados passou de 1.712 para 1743.

Portugal entrou domingo em situação de calamidade, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de março.

Esta nova fase de combate à covid-19 prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância ativa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.